Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 24 de novembro de 2013

sábado, 23 de novembro de 2013

Amarílio Lagreca

Ouçam todos e se calem.

Um homem que aprendeu que viver é uma luta que se leva até ao final, que rir e chorar é necessário e que nunca se abandona os amigos morre hoje.

Esta música é em homenagem a Amarilio Lagreca , que depõe sua espada hoje e seus companheiros choram por isso.


Deponha sua espada, deixe conosco. Assumimos a guarda daqui pra frente. 

Um dia nos veremos de novo.





Throw down the sword,(deponha sua espada)


The fight is done and over,(a luta se foi e acabou)


Neither lost, neither 
won.(nem perdida, nem vencida)


To cast away the fury of the battle(jogar fora a fúria da batalha)


And turn my weary eyes for home. (e voltar meus olhosexaustos para casa)

There were times when I stood at death's own door(houve tempos em que eu parei em frente à 
porta da morte)

Only hoping for an answer. (apenas esperando uma resposta)

Throw down the sword,(deponha a espada)


And leave the glory -(e deixe a sua glória)


A story time can never change.( o tempode uma história nunca muda)


To walk the road, the load I have to carry -(caminhar a estrada, a bagagem que devo carregar)


A journey's end, a wounded soul. (o fim da jornada, a alma machucada)

There were times when I stood at death's own door(houve tempos em que eu parei em frente à porta da morte)


Only searching for an answer. (apenas esperando uma resposta)




Longa vida ao CPCRJ

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

6 verdades chocantes que irão fazer de você uma pessoa melhor!

6 verdades chocantes que irão fazer de você uma pessoa melhor!

http://relatodeumempreendedor.com.br/
E também requer coragem. É incrivelmente reconfortante saber que enquanto você não cria nada em sua vida, então ninguém pode criticar a sua criação.
Fique livre para parar de ler isso se sua carreira está indo muito bem, você está super satisfeito com sua vida e está feliz com seus relacionamentos. Curta o resto do dia, amigo, este artigo não é para você. Você está fazendo um ótimo trabalho, estamos orgulhosos de você. Então para você não sentir que desperdiçou seu clique nessa página, aqui vai uma foto do Lenny Kravitz com um cachecol gigante.
Lenny Kravitz com um cachecol gigante
Para o resto de vocês, eu quero que vocês tentem algo: listem cinco coisas impressionantes sobre você mesmo. Escreva-as ou somente as grite para todos. Mas aqui está a pegadinha: não é permitido que você liste qualquer coisa que você é (isto é, eu sou um cara legal, sou honesto), mas ao invés disso você somente pode listar coisas que você faz (isto é, eu ganhei recentemente um torneio nacional de xadrez, eu faço o melhor chili de Florianópolis). Se você achar isso difícil, bem, este artigo é para você, e você vai odiar ler todas as coisas aqui.

#6. O mundo somente se importa com o que pode obter de você.

Digamos que a pessoa que você ame acabou de ser baleada. Ele ou ela está agonizando na rua, sangrando e chorando. Um cara aparece do nada e diz, “Afastem-se”. Ele observa o ferimento de bala em sua amada e puxa um canivete: ele vai operá-la ali mesmo na rua.
Homem de terno caído
“Ok, qual é o doente aqui”?
Você pergunta: “Vocé é médico”?
O cara diz: “Não”.
Você diz: “Mas você sabe o que está fazendo, certo? Você é um médico aposentado, ou…”
Nesta hora o cara parece incomodado. Ele diz a você que é um cara legal, honesto, que nunca se atrasou para nada. Ele diz que é um grande filho e tem uma vida cheia de hobbies saudáveis, e ele se gaba de nunca ter falado palavrão na vida.
Confuso, você diz: “Como diabos qualquer dessas coisas importam quando minha (mulher/esposa/mãe/ melhor amiga) está morrendo aqui, sangrando? Eu preciso de alguém que saiba como operar ferimentos de bala! Você pode fazer isso ou não?!”
Agora o homem fica agitado: por que você está sendo tão superficial e egoísta? Você não se importa com nenhuma das outras qualidades dele! Você não o ouviu dizendo que ele sempre se lembra do aniversário da namorada? Mesmo sabendo de tudo isso sobre ele, realmente a única coisa a qual você se importa é se ele sabe como fazer um cirurgia?
Naquele momento de pânico, você irá sacudí-lo com suas mãos ensanguentadas, berrando: Sim, estou dizendo que nenhuma dessas merdas importam, porque nesta situação específica, eu preciso somente de alguém que possa parar o sangramento, seu maluco desgraçado filho-da-mãe!!!!
Médico, Homem, coçando a cabeça
“Eu não entendi. Irá ajudar se eu colocar um jaleco? Espere um minuto, deixe eu só pegar um aqui…”
Então aqui está minha terrível verdade sobre o mundo adulto: você está nesta situação singular em todo simples dia. Só que você é o cara confuso com o canivete. A sociedade inteira é a vítima ferida de tiro.
Se você quer saber por que a sociedade parece afastar-se de você, ou por que você não consegue ter o respeito dela, é porque a sociedade está cheia de pessoas que precisam de coisas. Elas precisam que suas casas sejam construídas, de comida para comer, entretenimento, de relações sexuais prazerosas. Você surge nesta cena de emergência, segurando seu canivete, desde o seu nascimento: no momento em que você veio ao mundo, você começou a fazer parte do sistema projetado exclusivamente para atender as necessidades das pessoas.
“Aqui está a porcara que você pediu. Agora caia fora!”
Ou você irá cumprir a tarefa de encarar essas necessidades aprendendo uma gama única de habilidades, ou o mundo irá rejeitar você, não importa o quanto gentil, generoso ou educado você seja. Você será pobre, sozinho e indesejável.
Isto parece ser mal, grosseiro ou materialista? E o amor e gentileza? Essas coisas não importam? É claro. Desde que elas resultem em você fazendo coisas para as pessoas que elas não consigam em outro lugar. Veja só…

#5. Os hippies estavam errados.

                       Hippies fazendo paz e amor
Aqui vai uma das maiores cenas da história do cinema (AVISO: LINGUAGEM EXTREMAMENTE DIRETA):
Para aqueles que não conseguem assistir ao vídeo, o vídeo trata-se do famoso discurso que Alec Baldwin dá no clássico do cinema “Sucesso a qualquer preço”. O personagem de Baldwin – que assume-se que seja o vilão – discursa para um sala cheia de caras, de uma maneira bem “filho da mãe”, dizendo-lhes que serão demitidos a não ser que fechem as vendas que lhe foram atribuídas.
“Um cara legal? Estou nem aí. Bom pai? Foda-se! Vá para a casa e brinque com seus filhos. Se você quer trabalhar aqui, venda”.
É um sociopata brutal, rude e perturbado, e também é uma manifestação honesta e correta sobre o  que o mundo está esperando de você. A diferença é que, no mundo real, as pessoas consideram errado falar isso para você dessa forma então decidiram que é melhor simplesmente deixar você falhar continuamente.
                                               Alec Baldwin - Sucesso a qualquer preço
“Calouros, bem-vindos à aula de artes do Sr. Baldwin, todos estão aqui? Bem, vou começar mesmo assim.”
Esta cena mudou minha vida. Eu teria este discurso como meu despertador se eu soubesse como fazer isso. Alec Baldwin foi indicado ao Oscar por esse filme e essa é a única cena em que ele está. Como algumas pessoas inteligentes demonstraram, a capacidade deste discurso é que metade das pessoas que o assistiram acham que o objetivo da cena é “Nossa, como deve ser ter um chefe tão bacaca?” e a outra metade diz, “Foda, vamos sair e fazer boas vendas!”.
Ou, como o blog the Last Psychiatrist colocou:
Se você estivesse naquela sala, alguns de vocês entenderiam isso como um trabalho, mas entenderiam a mensagem dada, boas vindas do treinador te xingando, “esse cara é foda!”; enquanto alguns de vocês levariam para o lado pessoal, esse cara é um babaca, você não tem direito para falar comigo desse jeito, ou “a manobra padrão” quando o narcisismo é confrontado com um poder maior silenciosamente fantasia sobre achar algo que irá taxá-lo como hipócrita. Tão compensador.
                                                                   
Eu juro, se ele mencionar meu cabelo, eu irei bater na cara dele tão for… – Sim, senhor, estou ouvindo. Desculpe-me.”
Este resumo é de uma crítica perspicaz dos “hippies” e porque eles parecem ter tantos problemas em conseguir empregos (para fazer justiça, leia a coisa toda), e o ponto é que a diferença nessas duas atitudes : cruel contra motivado determina fortemente se você irá ou não ter sucesso no mundo. Por exemplo, algumas pessoas respondem a esse discurso com a frase de Tyler Durden do filme Clube da Luta: “Você não é seu emprego!”.
Mas, bem, na verdade, você é totalmente seu emprego. Seu “emprego” e meio de vida podem não ser a mesma coisa, mas em ambos os casos você não é nada mais que a soma de todas as suas habilidades úteis. Por exemplo, ser uma boa mãe é um trabalho que requer uma habilidade. É algo que uma pessoa pode fazer que é útil para outros membros da sociedade. Não entenda mal. Seu “trabalho” é a coisa útil que você faz para outras pessoas, é tudo que você é.
Há uma razão de porque os cirurgiões ganhem mais respeito que os escritores de comédia. Há uma razão para que mecânicos ganhem mais respeito que hippies desempregados. Há uma razão para que seu emprego tornar-se seu rótulo se sua morte gera a notícia (O dono da Yoki morre em um assassinato/homicídio.). Tyler disse, “Você não é seu emprego”, mas ele também fundou e dirigiu uma companhia de sabão de sucesso e tornou-se o chefe de um movimento social e político internacional. Ele era completamente seu trabalho.
Clube de Luta
Foi a ironia que muitas pessoas perderam daquele filme.
Ou pense dessa forma: Relembre quando a empresa Chick-fil-A mostrou-se ser contra o casamento de gays. E como, apesar dos protestos, a companhia continuou a vender milhões de sanduíches todo dia. Não é porque o país concorda com eles; é porque eles fazem seu trabalho de fazer sanduíches deliciosos muito bem. E isso é tudo que importa.
Você não precisa gostar disso. Eu não gosto quando chove no meu aniversário. As nuvens se formam e a precipitação acontece. As pessoas têm necessidades e então dão valor às pessoas que os satisfazem. Este é o simples funcionamento do universo e eles não respondem aos nossos desejos.
                                                  Fracassdo com uma chuva em cima dele
“Isto é bobagem. Eu tenho um ficha criminal limpa, e esse é o prêmio que recebo?”
Se você protesta que você não é um capitalista egoísta materialista e que você discorda que o dinheiro é tudo, eu só posso dizer: Quem disse alguma coisa sobre dinheiro? Você não está entendendo o ponto chave.

#4. O que você produz não tem a ver com ganhar dinheiro, mas tem a ver com beneficiar pessoas

                              
Vamos tentar usar um exemplo sem o uso de dinheiro para que você não fique pensando nisso. Este site (do artigo original, Cracked) escreve para, em média, homens de 20 e poucos anos. Então na nossa caixa de entrada eu leio várias histórias por ano de caras miseráveis e solitários que insistem que aquela mulher não dá mole para eles apesar deles serem os caras mais legais do mundo. Eu posso explicar porque este raciocínio está errado, mas provavelmente é melhor deixar o Alec Baldwin explicar:
Neste caso, Baldwin está interpretando o papel da mulher atraente em sua vida. Elas não vão deixar as coisas assim tão claras! A sociedade nos treinou para não sermos honestos com as pessoas mas a verdade é a mesma: “Cara legal”, quem se importa? Se você quer trabalhar aqui, venda!
Então, o que você tem para mostrar? Por causa da guria parecida com a Zooey Deschanel na livraria que você tem sonhado em hidratar seu lindo rosto por uma hora toda noite e se sente culpado quando ela come outra coisa que não seja salada no almoço. Ela será uma cirurgiã em 10 anos. O que você tem para oferecer?
                                            Gordinhos nerds jogando video game
“Bem, eu estou fudendo com os otários sendo assim.”
“O que, então você está dizendo que eu não consigo pegar garotas como ela a não ser que tenha um bom emprego e muito dinheiro?”
Não, seu cérebro vai direto para essa conclusão para que você tenha uma desculpa por tudo que o rejeita pensando que eles somente estão sendo egoístas e superficiais. Estou perguntando, o que você tem a oferecer? Você é inteligente? Engraçado? Interessante? Talentoso? Ambicioso? Criativo? Ok, agora o que você faz para demonstrar esses atributos para o mundo? Não diga que você é um cara legal ? Esse é o mínimo que você tem que ser. Garotas legais tem caras sendo legais com elas 36 vezes ao dia. O paciente está sangrando na rua. Você sabe como operá-lo ou não?
Bem, eu não sou sexista ou racista ou ganancioso ou superficial ou mal-educado! Não sou igual aqueles otários!”
Desculpe-me, eu sei que isso é difícil de ouvir, mas se tudo que você pode fazer é listar um monte de defeitos que você não tem, então se afaste do paciente. Há um cara inteligente e bonito com uma carreira promissora pronto para ajudar e operar.
                                                              Homem implorando mulher em casamento
                                                   ”Espere, eu disse que não iria bater em você!”
Isso quebra o seu coração? Ok, então e agora? Você vai ficar se lamentando sobre isso, ou irá aprender como fazer a cirurgia? É por sua conta, mas não reclame sobre como as garotas se apaixonam por idiotas; elas se apaixonam por aqueles idiotas porque aqueles idiotas tem outras coisas que podem oferecer. “Mas eu sou um bom ouvinte” Você é? Porque você está disposto a ficar quieto em seu canto em troca da chance de estar perto de uma garota linda (e gastar cada segundo imaginando quão macia sua pele deve ser)? Bem, adivinhe só, há outro cara na vida dela que também sabe fazer isso, e ele também sabe tocar guitarra! Dizer que você é um cara legal é como um restaurante em que a única especialidade é que a comida não o deixe doente. Você é como um filme novo que o título é “Esse Filme é legendado”, e o subtítulo é “Os atores estão bem visíveis”.
Eu acho que é por isso que você pode ser um “cara legal” e ainda assim se sentir mal consigo mesmo. Especificamente…

#3. Você se odeia porque você não faz nada

                        Homem sentado com as pernas cruzadas enquanto vê televisão minúscula
“Então e agora, você está dizendo que eu deveria ler um livro sobre como pegar garotas?”
Somente se o primeiro passo do livro é “Comece a se tornar o tipo de pessoa que as garotas querem estar perto!”
                                                               Homem segurando bebê e vendo máquina de lavar roupas
“Vamos lá. Eu sei que escondi vodka por aqui”
Por que essa é a etapa é esquecida? Como eu consigo um emprego? Como eu me torno o tipo de pessoa que os empregadores querem? Como eu consigo que garotas lindas gostem de mim? Ao invés de “Como eu me torno o tipo de pessoa que as garotas legais curtem?”. Veja, porque naquele segundo pode ser que você tenha que abrir mão de vários de seus hobbies favoritos e dar mais atenção à sua aparência, e sabe-se lá deus mais o quê. Talvez você até tenha que mudar sua personalidade. E isso nem sempre é algo agradável. Até que ponto você está disposto à ir para conquistar aquilo que você deseja?
“Mas por que eu não posso simplesmente achar alguém que goste de mim como eu sou?”, você pode perguntar. A resposta é porque os humanos precisam de coisas. A vítima está sangrando, e tudo que você pode fazer é baixar a cabeça e se lamentar que não há ferimentos de balas que se curem sozinhos? Aqui vai outro vídeo:
Todo mundo que viu o vídeo instantaneamente se tornou mais feliz, embora nem sempre pelas mesmas razões. Você pode fazer isso para as pessoas: Por que não? O que está impedindo você de balançar, com um notório fio dental e capa, em pleno palco, seu pênis para as pessoas? Aquele cara sabe a arte secreta de vencer na vida: que fazer… o que quer que você chame aquilo… era melhor do que não fazer aquilo.
“Mas eu não sou bom em nada!” Bem, tenho boas notícias: com algumas horas de repetição você pode ficar um pouco bom em qualquer coisa. Eu era o pior escritor do planeta quando era adolescente. Eu só fiquei um pouco melhor com 25 anos. Mas enquanto estava falhando miseravelmente na minha carreira, eu escrevi no meu tempo livre, por oito anos seguidos, um artigo por semana, antes que eu ganhasse dinheiro de verdade com isso. Levou 13 longos anos para eu me tornar bom o suficiente para entrar na lista de best-sellers do New York Times. Precisei de provavelmente 20.000 horas de prática para tirar algo que preste.
Não gosta da perspectiva de gastar todo esse tempo em aprender uma habilidade? Bem, eu tenho uma boa e má notícia. A boa notícia é que o simples ato de praticar irá ajudá-lo a sair de sua casca: eu passei por anos de tedioso trabalho de escritório porque eu sabia que estava aprendendo uma habilidade única apesar de tudo. As pessoas desistem porque leva muito tempo para ver os resultados, porque elas não entendem que o processo é o resultado.
A má notícia é que você não tem escolha. Se você quer trabalhar aqui, venda.
Por que na minha opinião de não-expert, você não se odeia porque você tem baixa auto-estima, ou porque outras pessoas são más com você. Você se odeia porque não faz nada. Você nem mesmo pode “amar você por amar”. Esse é o motivo de você ser miserável e me mandar mensagens sobre o que você deve fazer com sua vida..
                                                                      
Primeiro passo: Acorde
Faça as contas: Quanto de seu tempo é gasto em consumir as coisas que outras pessoas fizeram (TV, música, videogames, sites) contra as feitas por você? Somente um desses dois adiciona valor a você como ser humano.
E se você odeia ouvir isso e está respondendo com algo que você ouviu quando criança que se parece com “É o interior que importa!” então eu só posso dizer…

#2. O seu interior só importa por causa do que faz você fazer

                            Mulher praticando jardinagem
Estando no ramo que estou, conheço dúzias de aspirantes a escritores. Eles acham a si mesmos escritores, ele se apresentam como escritores nas festas, eles sabem que, no fundo, eles têm o coração de escritor. A única coisa que eles estão esquecendo é daquele pequeno passo final, em que eles realmente escrevem coisas fodásticas.
Mas isso realmente importa? Escrever coisas? É mesmo tão importante quando se decide quem é ou não é realmente um “escritor” ?
Pelo amor de deus, sim.
                                                         Mulher escrevendo uma lista
Eu conheci “escritores” que escreveram menos que uma mulher fazendo a lista do supermercado.
Veja, há uma defesa comum contra tudo que eu disse até agora, e contra qualquer voz crítica em sua vida. É aquilo que seu ego está dizendo a você com o objetivo de evitar que você tenha o trabalho duro de mudar: “Eu sei que sou uma boa pessoa por dentro”. Também pode ser visto como “Eu sei quem eu sou” ou “Eu só tenho que ser eu“.
Não me leve a mal; quem você é por dentro é tudo – o cara que construiu uma casa para sua família do nada fez isso por causa do que ele era por dentro. Toda coisa ruim que você já tenha feito começou com um impulso ruim, algum pensamento ricocheteando dentro de seu crânio até que você teve que agir. E toda coisa boa que você tenha feito passou pelo mesmo processo – “o que você é por dentro” é o solo metafórico a partir do qual seu fruto cresce.
                                                                  Árvore com frutos vermelhos
Percebam como a câmera está posicionada, e não está na base da árvore.
Mas é aqui que todo mundo precisa saber e que muitos de vocês precisam saber: “Você” não é nada senão o fruto.
Ninguém se importa com seu solo. “Quem você é por dentro” não tem importância além do que é produzido para outras pessoas.
No interior, você tem uma grande compaixão por pessoas pobres. Legal! Isso resulta com você fazendo algo a respeito? Você ouviu sobre alguma tragédia terrível em sua comunidade e disse, “Oh, pobres crianças carentes. Deixe-as saberem que estão nos meus pensamentos”. Por que razão tais crianças dariam qualquer importância à esse ato? Descubra o que elas precisam e as ajude a conseguir! Pensamento sem ação é uma idéia que não nasceu para o mundo! Cem milhões de pessoas assistiram o vídeo do Kony, virtualmente todas elas mantiveram as pobres crianças africanas “em seus pensamentos”. O que o poder coletivo daqueles bons pensamentos resultou? Porra nenhuma! Crianças morrem todos os dias por causa de milhões de nós que dizem a si mesmos que se preocupar é tão bom quanto fazer. É um mecanismo interno controlado pela parte preguiçosa de nosso cérebro que mantém você longe de realmente fazer algo.
                                                             Médico e sua paciente em hospital
Só quero dizer que você está em meus pensamentos. Boa sorte! Me informe se eles curaram você.
Quantos de vocês estão andando por aí agora dizendo, “Ela/ele me amaria se ela/ele conhecesse a pessoa interessante que sou!“. Você está falando sério? Como todos os seus interessantes, pensamentos e ideias se manifestam no mundo? O que eles fizeram você fazer? Se a garota dos seus sonhos tem uma câmera escondida que o seguisse por um mês, ela ficaria impressionada com o que visse? Lembre-se, ela não pode ler sua mente: somente pode observar! Ela gostaria de se tornar parte de sua vida?
Porque o que estou pedindo que você faça é aplicar o mesmo procedimento que você próprio aplica a todos os outros. Você não tem aquele amigo cristão chato que a única ajuda que oferece aos outros é “rezar por eles”? Isto não o deixa louco? Nem estou discutindo se a reza funciona ou não; não muda o fato que eles escolheram um tipo de ajuda que não requer que tirem a bunda do sofá. Eles se abstém de qualquer vício, eles pensam em coisas boas, seu solo interno é tão puro quanto pode ser, mas quais os frutos que crescem disso? E eles devem saber disso mais do que ninguém : eu roubei a metáfora do fruto da bíblia. Jesus disse algo sobre o efeito de “uma árvore é julgada pelo seu fruto” várias e várias vezes. Cansou de dizer! Jesus nunca disse, “se você quer trabalhar aqui, venda“. Não, ele disse, “toda árvore que não gera bons frutos é cortada e jogada na fogueira!”
                                                              Búfalo
“E então um búfalo irá olhar estupidamente para sua alma enquanto come grama e peida suavemente”
As pessoas não reagiram bem ao dizer isso, assim como os vendedores não reagiram bem ao Alex Baldwin os dizendo que eles precisam ter colhões ou se limitar a engraxar seu sapato. O que nos leva ao ponto final…

#1. Tudo dentro de você lutará contra a mudança

                          Menina adolescente com o olhar aborrecido
A mente humana é um milagre, e você nunca a verá entrando tão belamente em ação quanto ela lutando contra as evidências que é preciso mudar. Sua psique é equipada com camadas e mais camadas de mecanismos de defesa projetados para acabar com qualquer coisa que possa tirar as coisas exatamante de onde estão, pergunte a qualquer viciado como é.
Então mesmo agora, alguns de vocês ao lerem isso estão sentindo seus cérebros bombardeando-os com razões instintivas para rejeitar tudo isso. Por experiência própria, posso dizer que isso virá na forma de…
*Interpretando intencionalmente qualquer crítica como um insulto:
“Quem é ele para me chamar de preguiçoso e imprestável! Uma boa pessoa nunca falaria comigo desse jeito! Ele escreveu tudo isso somente para se sentir superior a mim e fazer eu me sentir mal sobre minha vida! Eu mesmo irei pensar em um bom insulto para chegar no mesmo nível dele!”
*Focando-se no mensageiro para evitar ouvir a mensagem:
”Eu vou procurar por aqui até que ache uma piada que é ofensiva quando tirada do contexto, e então só falar e pensar sobre isso! Eu ouvi que uma única palavra ofensiva pode render um livro inteiro que não foi lido por ninguém!”
                                                                    Homem reclmando com mulher e apontando o dedo pra ela
“Quando você chegar onde eu estou na vida, sinta-se livre para me dar conselhos! Até lá, você não é nada além de carne e palpites”
*Focando-se no tom para evitar ouvir o conteúdo:
Correndo para fórmular um argumento Ad Hominem – ”Quem é ESSE CARA para ME dizer como devo viver? Oh, como se ele fosse tão bom e foda! É somente um escritor idiota na internet! Eu vou desenterrar algo sobre ele para ter certeza que ele é um estúpido, e que tudo que ele está dizendo é estúpido! Esse cara é tão pretensioso, me faz vomitar! Eu assisti um antigo vídeo do youtube de um rap dele e achei completamente sem ritmo!”
*Revisando sua própria história:
“As coisas não são tão ruins! Eu sei que tentei me suicidar mês passado, mas estou me sentindo melhor agora! É totalmente possível que se eu continuar fazendo exatamente o que estou fazendo, eventualmente as coisas irão dar certo! Eu terei minha grande chance, e se continuar fazendo favores para aquela garota linda, eventualmente ela dará mole pra mim!”.
*Fingindo que qualquer mudança seria de alguma forma vender o seu verdadeiro eu:
”Oh, então eu acho que supostamente devo me livrar de todos os meus mangás e ir para a academia por seis horas por dia e ter um bronzeado artificial igual aqueles babacas do Jersey Shore? Por que ESSA É A ÚNICA OUTRA OPÇÃO?.”
                                                                Homem entregando chave a mulher
“Caminho para deixar a cidade pra trás, babaca. Com dinheiro ou sem, você sera sempre uma merda!”
E por aí vai. Lembre-se: a infelicidade é confortável. Por isso muitas pessoas preferem isso. A felicidade requer esforço.
E também requer coragem. É incrivelmente reconfortante saber que enquanto você não cria nada em sua vida, então ninguém pode criticar a sua criação.
É muito mais fácil só ficar sentado no sofá e criticar as criações de outras pessoas. Esse filme é estúpido. Essas crianças são umas pirralhas. O relacionamento daquele casal é uma zona. Aquele cara rico é ganancioso. Esse restaurante não presta. Esse escritor na internet é um babaca. É melhor deixar um comentário maldoso pedindo que o site o demita. Veja, eu criei algo.
Oh, espera aí, eu esqueci de mencionar essa parte? Sim, qualquer coisa que você tente construir ou criar – seja um poema, ou uma nova habilidade, ou um novo relacionamento – você imediatamente irá se deparar por não-criadores que destroem tudo. Talvez não seja na sua frente, mas irão fazer isso. Seus amigos bêbados não querem que você fique sóbrio. Seus amigos gordos não querem que você comece uma dieta. Seu amigo desempregado não quer que você comece uma carreira.
Mas lembre-se, eles estão somente expressando seu próprio medo, desde que destruir o trabalho de alguém é outra desculpa para não fazer nada. “Por que eu devo criar algo quando o que os outros criam é lixo?” “Eu teria escrito um romance inteiro agora, mas eu irei esperar para ser algo bom, não quero escrever o próximo Crepúsculo.” Desde que eles não produzam nada, será sempre perfeito e irrepreensível. Ou se eles produzirem algo, terão certeza de fazer algo com uma imparcial ironia. Farão algo intencionalmente ruim para deixar claro para todos que não foi com seu verdadeiro esforço. Seu esforço verdadeiro teria resultado em algo espetacular. Não como a merda que você fez.
Leia os comentários dos nossos artigos – quando eles são desagradáveis, é sempre do mesmo tipo: “Quem é você para dizer isso? Por que não para de fazer esses posts? Isso é hipocrisia! Pare de generalizar, isso é diferente do que eu teria feito, e a atenção que você está recebendo está fazendo eu me sentir mal comigo mesmo?!” entre outros.
Não seja essa pessoa. Se você é essa pessoa, não seja essa pessoa nunca mais. Isso é o que está fazendo as pessoas odiarem você. Isso que está fazendo você odiar você mesmo.
                                                                     Homem segurando tocha
O que você irá fazer com isso? Caça às bruxas ou começar as olimpíadas?
Então que tal isso: um ano. Junho de 2014, esse é o seu prazo. Ou um ano a partir do dia que você ler esse artigo. Enquanto outras pessoas estão dizendo a você “Vamos fazer uma resolução de Ano Novo para perder 15 quilos esse ano” eu diria vamos se empenhar em fazer qualquer coisa “aprender algo, qualquer melhoramento a você como ser humano, e tirar o máximo disso para impressionar as pessoas”. Não me pergunte como “porra, escolha algo aleatoriamente se você não sabe”. Faça aulas de karatê, dança de salão, ou cerâmica. Aprenda a cozinhar. Construa um viveiro. Aprenda massagens. Aprenda uma linguagem de programação. Adote um codinome de superherói e combata o crime. Comece um vlog no youtube.Traduza e legende vídeos para o L+
Mas a ideia é, eu não quero que você se foque em algo animal que fará tudo dar certo para você (“Irei achar uma namorada, ganhar muito dinheiro…”). Eu quero que você se foque puramente em dar a você mesmo uma habilidade que irá torná-lo um pouco mais interessante e valoroso para as outras pessoas.
                                                                     
“Cacete, aprendendo espanhol, eu ganhei a habilidade de falar com 400 milhões de pessoas que antes eu não podia.”
“Eu não tenho dinheiro para fazer uma aula de culinária”. Você tem acesso à Internet, não tem? Então digite no google “como cozinhar”. Eles até filtram o pornô – sim, agora eles filtram – e estará lá várias lições para você aprender, está mais fácil do que nunca. Porra, você tem que parar com essas desculpas. Ou elas irão acabar com você.
Se você quer anotar seu projeto no fórum ou nos comentários e verificar depois de um ano, sinta-se à vontade. Estarei curioso para ver se ao menos uma pessoa fará isso, mas se rolar iremos ver, não somente se conseguimos ou não cumprir a tarefa, mas o porquê. Você não tem nada a perder, e o mundo precisa de você.
Fonte: Artigo indicado por Rodrigo Pinto, retirado e traduzido pelo site http://www.libertarianismo.org/.
Escrito por David Wong

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

ARTIGO 172 – O ÚLTIMO DIA DA SUA VIDA

A melhor coisa que li hoje, sem sombra de dúvida.



ARTIGO 172 – O ÚLTIMO DIA DA SUA VIDA

08 JUL 2013 POR: IQUE 

Trilha:

Se você está lendo isso,
significa que eu tive coragem de  postar.
Bom pra mim.
6 meses atrás…
Meu pai estava correndo atrás da minha sobrinha pela casa.
A minha namorada mandava mensagem dizendo: Eu te amo.
3 meses atrás…
Meu pai foi diagnosticado com uma doença neuro degenerativa, sem cura e que ia matá-lo aos poucos.
A minha namorada se muda para outra cidade.
2 semanas atrás.
Meu pai nao consegue mais levantar sozinho.
Minha namorada termina comigo.
A Vida é a coisa mais frágil,
instável e imprevisível que existe.
No dia que minha namorada terminou,
voltei pra casa e quando abri a porta estava meu pai sentado sem força para levantar do sofá.
Passaram 8.433 coisas na minha cabeça.
Comecei a chorar.
Ele disse:
Se você soubesse que esse é seu último dia de vida,
você passaria ele chorando?
Tá aí uma excelente forma para parar de chorar,
encontrar esperança onde parece não existir nada.
Falei com meu pai que estava acontecendo muita coisa ruim.
Ele disse:
Todas essas coisas que não eram para acontecer,
aconteceram.
O que acontecerá depois depende de você.
Na mesma hora liguei para um amigo e ele chamou outro amigo que chamou outro.
Saimos para conversar.
Um deles contou que a mãe também está com uma doença degenerativa.
Voltei pra casa.
Fui até o quarto do meu pai e disse:
Eu te amo.
É importante ter tempo para dizer às pessoas que você ama o quanto você as ama,
enquanto elas podem te ouvir.
Ele começou a chorar.
Eu falei:
Se você soubesse que esse é seu último dia de vida,
você passaria ele chorando?
Ele comecou a rir.
As pessoas fazem você continuar.
Pessoas são melhores do que ninguém.
Se você está sofrendo por amor,
Se alguma pessoa que você ama está doente,
Não fique puto com o mundo.
Não se torne um babaca.
As coisas caem e quebram, é a vida.
E a vida é dura.
As pessoas cometem erros… mas, se você me perguntar,
é a parte que vem depois que importa.
A parte onde você faz a coisa certa.

Milo Manara | Mulheres e Nanquim - DIRETO DO BLOG PAPO DE HOMEM- RECOMENDO.

Do excelente blog Papo de homem, como sou fã do italiano (http://pt.wikipedia.org/wiki/Milo_Manara) desde moleque, leitor dos clássicos em quadrinhos, amei esta apresentação, meio que homenagem, pois ele merece mesmo.

Aproveitem a arte sensacional do mestre.

Texto por por 
“Não há palavras para explicar sua arte. Por mais que consigamos expressar em crônicas nossas impressões e nosso espanto, ficamos miseráveis aos pés do alta-mor no qual ele elogia a beleza no sentido em que Veronese a concebeu.
Cedo ou tarde, alguém terá que falar da maternidade de Manara, de como ele conseguiu dar a luz a muitas filhas brilhantes em uma só vida, tanta graça concentrada em um único momento: o momento da visão milagrosa em que a carne se torna um conto de fadas. Ele semeou suas filhas no mundo, cada uma delas com a capacidade de transformar tudo que está a seu redor.”
– Vicenzo Mollica, 2008.
playboy
manara-arte-12
Quem é o artista capaz de provocar comentários tão entusiasmados do escritor italiano Vicenzo Molicca? Aliás, nem parece ser entusiasmo o que move essas frases, mas sim uma devoção quase religiosa ao artista elogiado. E é fácil compreender o porquê, já que não se pode esperar menos de um artista que ousou resumir cinco mil anos de história humana em um punhado de ilustrações eróticas.
manara-arte-25
manara-arte-22
manara-arte-24
Quando comecei essa série Mulheres e Nanquim, tinha certeza de duas coisas.
A primeira é que, apesar do nome, as matérias não poderiam se limitar apenas ao trabalho em nanquim dos grandes artistas que dedicaram seu talento a desenhar o corpo feminino.
manara-arte-01
manara-arte-21
A segunda é que, em algum momento, teria de falar de Milo Manara, um sujeito tão foda que conseguiu convencer ninguém menos que Frederico Fellini a converter dois roteiros originais do mestre do cinema italiano para o mundo dos quadrinhos.
E isso representaria encrenca.
manara-arte-05
manara-safadas-03
Encrenca pois Manara tem um enorme acervo de trabalhos, a maior parte de qualidade espetacular.
Isso torna muito difícil selecionar o que merece ser ou não publicado em uma matéria a seu respeito — pois, na verdade, tudo merece. Sua produção é tão cornucópica que é quase impossível fazer uma retrospectiva de todas as suas obras.
Feitas os devidos esclarecimentos, vamos ao que interessa.
40thewomanasobject
Aphrodite 1
Milo Manara começou sua carreira em 1968, quando estava no primeiro ano da faculdade de arquitetura em Veneza.
Então com 23 anos, o jovem nascido em Luson, filho de uma professora e de um funcionário público começou a desenhar para a revista em quadrinhos Genius, da editora Furio Viano.
manarapeb01
manarapeb04
manara-safadas-06
Logo a seguir, passou a trabalhar para a editora Ediperiodici, conhecida na época por ser a principal publicadora de material erótico na Itália.
manarapeb06
manarapeb07
manarapeb02
Na obra Memory, que faz uma retrospectiva de sua carreira, Milo Manara comenta sobre suas experiências iniciais:
“Em minha primeira história erótica, tentei expor todos os detalhes. Eu me propus um desenho idealizado por insistir nos aspectos cerebrais e intelectuais da história. Para distinguir meu trabalho da pornografia, tentei tratar mesmo as piores coisas com humor e sem evocar sentimentos de culpa.”
manara-safadas-05
manara-arte-11
Milo Manara trabalhou para a Ediperiodici até 1975, e é desse período seu primeiro trabalho de fôlego: Jolanda de Almaviva contava a história de uma sedutora corsária que não tinha muito pudor diante de seus marinheiros.
manara-arte-03
manara-arte-04
Em 1978, Manara passa a publicar as histórias de Giuseppe Bergman na revista francesa À Suivre, uma reflexão moderna e pouco convencional sobre a possibilidade de vivermos uma aventura no mundo moderno.
bergman01
A primeira história do anti-herói de Manara tem o título de HP e Giuseppe Bergman, sendo que as iniciais HP são uma homenagem a outro grande quadrinhista italiano, Hugo Pratt, de quem Manara já era amigo
bergman02
Manara revisitou seu personagem Giuseppe Bergman em vários momentos de sua longa carreira, ambientando suas aventuras sempre em locais pitorescos.
manara-arte-06
manara-arte-09
Em Memory, o artista nos conta o processo criativo que envolve essas histórias:
“Viajei pela Ásia para elaborar as entrevistas de Giuseppe Bergman.
Essa foi uma viagem genuína, no estilo da clássica viagem de aventura. Quando viajo dessa forma, tiro um monte de fotos e faço rascunhos. Posso trabalhar em qualquer lugar, mesmo durante viagens.”
manara-arte-08
Mas é em 1983, com o primeiro volume de Clic (no original, Il Gioco) que Milo Manara alcança fama (e má-fama) internacional.
click000
click003
Clic é uma ousada história sobre um curioso dispositivo tecnológico que, implantado no cérebro de pudorosas moças de família, permite ao detentor do controle remoto do aparelho colocar a vítima em um estado de insaciável e desgovernada excitação sexual.
Seguiram-se três sequências da série, publicadas em 1991, 1994 e 2001.
click001
clique01
É na série Clic que Manara faz seus trabalhos mais ostensivamente eróticos. E é bom utilizar essa palavra, e não pornografia, pois o mestre italiano prefere deixar claro que há uma distinção entre uma e outra forma de expressão artística da sexualidade humana, como esclareceu em Memory:
“A indústria pornográfica existe porque atende a uma demanda, mas ela não soluciona nada. O consumidor pode apenas sentir culpa. Nós não devemos mais nos sentir envergonhados e, desde que haja certo grau de ironia, somos capazes de falar de qualquer coisa. Precisamos reconhecer nossas fantasias e encará-las abertamente.
É por isso que eu falo de fantasias evitando qualquer forma de sentimento de culpa. Não obstante, a linha divisória entre pornografia e erotismo é muito subjetiva. Não é só uma questão de qualidade. Se o trabalho nos faz felizes e atende nossas expectativas ao expressar nossas fantasias, então é erotismo. Eu endosso a afirmação de Woody Allen, de que “a pornografia é o erotismo dos outros”.
cliquefreira
Explorando o corpo feminino em suas obras, seria Milo Manara machista? Em 2010, o artista fez uma visita ao Brasil. Em entrevista ao Estadão, falou sobre suas leitoras e de sua relação com as mulheres que conhecem seu trabalho de forte carga erótica:
“Há um monte de mulheres entre meus admiradores, eu posso mesmo dizer que elas são maioria. Com efeito, muitas garotas adoram meus desenhos e eu as encontro nos festivais, palestras, sessões de autógrafos. Não sei ao certo por que tenho sucesso, mas pode ser que elas se sintam bem representadas em minhas histórias, que elas compreendam que eu desenho mulheres com respeito.
De toda maneira, minhas heroínas são sempre mulheres à frente de todos os estereótipos, não submissas, independentes. No Clic, justamente, somente um artifício tecnológico que os homens carregam é que pode condicionar a vontade de uma mulher. Até então, ela os recusava. No meu erotismo, a mulher é sempre um sujeito sexual, mais que um objeto.”
manara-safadas-07
manara-safadas-08
manara-safadas-09
Desde o início desse reconhecimento mundial ficou claro que Manara possuía um raro dom de perceber o corpo feminino.
De qualquer forma, suas mulheres são sempre muito semelhantes anatomicamente: esguias mas calipígias, de seios pequenos, lábios fartos e olhos ligeiramente orientais.
manara-safadas-02
manara-www-01
Por isso, é prova do talento de Manara o fato de que ele, desenhando corpos femininos sempre inspirados em um mesmo modelo ideal, esguio e caucasiano, seja capaz de nos deleitar e surpreender a cada trabalho.
manara-arte-31
A respeito de sua inspiração para desenhar corpos femininos, Manara deu-nos algumas pistas naentrevista dada ao site Café com Letras:
“Sou inspirado por todas as mulheres, não só as atrizes, jornalistas, esportistas, mas as meninas que encontro na rua. Minha mulher ideal é possivelmente o resultado das características de muitas mulheres que conheci, e eu tento tirar a própria essência.”
manara-safadas-10
manara-safadas-04
A partir de outubro de 1983, com textos de Hugo Pratt, seu mentor e amigo, Manara desenha para a revista Corto Maltese, e seu primeiro trabalho foi Verão Índio, considerada uma das obras-primas dos dois artistas.
veraoindio
Em 1986, Viagem a Tulum, roteiro de um filme de Federico Fellini que jamais seria realizado, é publicado em seis partes no jornal italiano de grande circulação Corriere della Sera. Manara é convidado a elaborar um desenho em preto e branco para ilustrar cada uma das publicações do roteiro. Nesse mesmo ano, o desenhista cria um cartaz de divulgação para o filme Intervista de Fellini.
manara-safadas-01
Ao conhecer o trabalho de Manara, Fellini logo percebeu sua genialidade, como disse em entrevista publicada em 1987:
“O lápis, as tintas e os meios-tons do amigo Manara são o equivalente à encenação, aos figurinos, aos rostos dos atores, às decorações e às luzes com que eu conto histórias em meus filmes.”
mmv_s_05
Dessa parceria inicial com Fellini surge uma proposta: desenhar como quadrinhos todo o roteiro deViagem a Tulum.
Manara aceita o desafio e, em 1989, é publicada a sensacional versão para a nona arte do filme de Fellini, que recorre a símbolos junguianos e alusões aos livros de Carlos Castañeda, que conheceu em 1985, a fim de contar uma delirante história sobre a evolução da consciência humana.
viagem a tullum 01
O mestre da nona arte assim registrou o trabalho em conjunto com o mestre da sétima:
“Com Fellini trabalhei de uma forma bem direta, nós nos encontrávamos com frequência e ele me deu vários detalhes sobre cada uma das páginas (ele realmente gostava de desenhar), com cenários, diálogos, etc. Portanto ele era o diretor e eu era apenas seu único câmera. Fellini amavelmente infundiu seu espírito, expressou-o das imagens aos diálogos, e dos diálogos à ação.”
mmv_s_59
Talvez pelo nome dos artistas envolvidos, ou pela aura de roteiro infilmável, esse Viagem a Tulumressoa de formas surpreendentes até hoje em dia.
Em 2011, a jornalista italiana Laura Maggiore escreveu um estudo de 216 páginas intitulado Fellini e Manara. No mesmo ano, foi produzido um curta-metragem, dirigido por Chelsea McMullan, narrando o trabalho de Fellini e Manara sob o ponto de vista desse último.
manara-arte-10
Ainda em 2011, o diretor italiano Marco Bartoccioni, junto ao antigo assistente de direção de Fellini, Tiahoga Ruge, produziu Sonhando com Tulum, longa que presta homenagem ao trabalho de Manara e Fellini.
mmv_s_06
Mas retornemos a Manara. Em abril de 1991, Milo Manara e o não menos genial Hugo Pratt publicam El Gaucho, uma história situada na Argentina e que trata do contexto histórico da Guerra Anglo-Espanhola.
elgaucho
Em junho de 1992, ocorre nova parceria entre Manara e Fellini com a publicação, na edição nº 15 da revista Il Grifo, da obra Il viaggio di G. Mastorna detto Fernet, outro roteiro do famoso diretor italiano, também jamais transformado em filme.
manara-arte-07
Federico Fellini teve uma participação ainda maior na elaboração da versão de sua história para a nona arte, pois elaborou os storyboards que serviram de base para os desenhos de Manara.
Infelizmente, o falecimento de Fellini em outubro de 1993 deixou a obra incompleta.
manara-arte-02
Em 1996, Manara publica Gullivera, sua versão erótica para o clássico de Jonathan Swift.
manara-gulivera-01
manara-gulivera-02
manara-gulivera-03
manara-gulivera-04
Em 1999, publica o seu Kama Sutra, um trabalho sem brilho e desprovido do esmero artístico da obra homônima desenhada por Georges Pichard, embora tenha seus bons momentos.
goddess
kama_sutra_56
kama_sutra_57
Porém, Milo Manara se refaz da falta de criatividade repentina ao publicar, no mesmo ano, sua sensacional versão para O Asno de Ouro de Apuleio.
manara-asno-02
manara-asno-03
Na virada do milêncio, além de criar seu sensacional Bolero, Manara publica Tre ragazze nella rete, uma história sobre um trio de lésbicas que vitimiza e abusa de um desacordado criminoso sexual que foi pego, literalmente, com as calças na mão.
www02
www05
www01www03
www04
Em 2004, Milo Manara trabalha com o genial Alejandro Jodorowsky na narrativa sobre a história dafamília Borgia no período da renascença italiana.
manara-borgia-01
manara-borgia-02
manara-borgia-03
Misturando fatos históricos com o imaginário erótico masculino, a série Borgia prometia ser um estrondoso êxito e um marco na carreira de ambos os artistas.
Infelizmente, o resultado final parece ter ficado abaixo das expectativas, tendo Jodorowsky decidido contar de forma apressada e em um último volume uma série de empolgantes eventos históricos que exigiriam uma elaboração mais minuciosa e demorada, digna do talento de Manara.
manara-arte-13
manara-arte-17
Em 2009, Manara publica pela Marvel/Panini italiana a obra X-Men: Ragazze in fuga, com enredo de Chris Claremont.
xmen
Recentemente, em 2012, Manara publicou Contes Libertins, obra na em que ilustra as fábulas eróticas de La Fontaine.
manara-lafotaine-00

manara-lafotaine-01
Milo Manara, como se vê, continua produzindo com excelência até hoje, criando cenas evocativas e histórias inspiradas sempre no erotismo e na mulher, como bem resumiu o roteirista italiano Vicenzo Cerami:
“Os temas desenvolvidos na obra de Milo Manara giram em torno do Amor e da Mulher. Hoje em dia, graças às novas estruturas da sociedade ocidental, o papel da mulher chega ao primeiro plano e torna-se um tema explosivo. Eros dissemina-se entre produtos de consumo e a reprodução da espécie.
Nossa época, dominada pelas leis do mercado, está conhecendo uma profunda transformação, sem dúvida irreversível. Os corpos femininos, enquanto ícones mais representativos de Eros, encontraram em Manara seu campeão definitivo.”
manara-lafotaine-02

manara-lafotaine-03
“Milo imediatamente percebeu que Eros não é lido em um corpo esculpido no nada. A beleza que ilumina o desejo é a luz que deita sobre um corpo, inundando de crepúsculo ou de noites inflamadas tudo à sua volta.”
manara-lafotaine-04

manara-lafotaine-05
“A sexualidade ocupa todo o espaço, enfrenta os contornos e permanece no escuro. Encontra-se na nudez nua. Manara trata frequentemente do passado, com cores que ilustram, ao fim das contas, a imagem da mulher moderna.”
manara-lafotaine-06

manara-lafotaine-07

"Não escrevo por achar que tenho talento, sequer para dizer algo importante, e sim por autocomplacência e descaramento: de todos os vícios e extravagâncias tolerados socialmente, escrever é o mais inofensivo. Logo, deixe-me abusar, aqui e no blog Minha Distopia

Outros artigos escritos por