Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

"Direitos da criança" - O estado brasileiro através da Onu roubando meus direitos de ser pai e destruindo a minha família- A Experiência americana

Observe bem, o ovo da serpente

O povo dos EUA já colheu os frutos malditos das leis internacionais da ONU e dos "direitos da criança", que impedem os pais de serem pais.

No início são pedidos para "PROTEGER AS CRIANÇAS DO PAIS MAUS"( como se não houvessem leis ´pra isso) mas o objetivo é o controle por parte do governo do que se passa dentro do sagrado interior do lar(alguns ainda acham, como eu, que o lar é sagrado, não se espantem).

Na Suécia, filhos são tomados dos pais por razões as mais simples, mas como é um país "desenvolvido' nada é questionado.

Prestem atenção, pois o ovo está sendo implantado aqui há anos e não se vê a maioria silenciosa agir.

O estado não pode tratar os pais como criminosos!


3 comentários:

Paulo disse...

Creio que sua leitura está equivocada. Algumas leis precisam ser regulamentadas. Como não existe uma agência (como ANP, ANVISA, CONAMA etc) para regulamentar é necessário lei para isso. O Estado tem por obrigação defender o cidadão. E isso independe de ser criança ou adulto. Como crianças são mais frágeis e propensas a abusos, a idéia do legislador não era controlar o que se passa no seu sagrado lar, mas, sim, proteger incapazes (este é o termo usado para crianças, idosos e pessoas com deficiência) daqueles que podem fazer-lhes mal. As estatísticas mostram que o maior número de abusos (seja violência física ou sexual) contra crianças são praticados pelos pais, seguido dos praticados por religiosos (padres, pastores, pais de santo). Logo, proteger a criança de facínoras, é sim dever pétreo do Estado. Seja aqui ou nos USA, grande polícia do mundo, ou na conchinchina. Ou deveria ser. Não sei quem te orienta nesse sentido, mas o está fazendo com extrema irresponsabilidade.
Discordar da visão política de um governo é uma coisa. Fechar os olhos para a realidade é outra muito diferente. Você não pode comparar a sua família com outras onde há, sim, violência excessiva, estupros etc. Você deve conhecer famílias assim. Eu conheci e ainda conheço. Conheço crianças que se tornaram adultos com distúrbios psíquicos por terem sido vítimas costumazes de vilência em casa. E outros que você não gostaria de ter conhecido a história. Pois dói até hoje. São as vantagens e desvantagens de ter morado em comunidade mais de 30 anos.

claudio naufrago disse...

Ola Dema,
Não posso ver o vídeo porque a conexão aqui esta ruim, mas sobre este assunto só tenho a dizer que sou agradecido de já ter filhos grandes e ao mesmo tempo preocupado com meus filhos/netos (quando houver).
Legal teu blog,
Claudio

Ademar Couto disse...

O Estado defender o cidadão? concordo. O Estado, sob pretexto de defender o cidadão, invadir a casa do cidadão, que a esta altura perdeu a presumível inocência para ser tratado como possível criminoso? em que altura deste processo o cidadão deixou de ser cidadão?...


Não existe lei para isso? não se pode denunciar hoje um facínora por maus tratos? se já existe métodos para isso, porque "inventar um método novo"?


Minha orientação é de livre pensamento, livre consciência, remete à igualdade de valores e por isso requer um tratamento no mesmo nível.

Pautar toda uma sociedade com presumíveis facínoras e molestadores de crianças é me chamar de criminoso em potencial. não aceito.

Para os criminosos, a justiça(inclusive já existe isso no código penal), mas me colocar no mesmo baú de possíveis estupradores, isso é inaceitável.

Respeito é bom e eu gosto E mereço.